segunda-feira, 14 de maio de 2018

Devolver Digital lançará um jogo para o Super Nintendo



















Imagine que você possui uma editora de games e quer chamar a atenção das pessoas para um problema que ronda a indústria. Como faria isso? Pois a Devolver Digital resolveu criar um jogo e a plataforma escolhida para o seu lançamento, acredite, foi o nosso saudoso Super Nintendo.

Desenvolvido pela Mega Cat Studios, em Fork Parker’s Crunch Out assumiremos o papel do diretor executivo da editora que, após um período de lucros e calmaria, vê o seu negócio ameaçado pela chegada de uma nova empresa ao mercado. Caberá a ele tomar todas as medidas necessárias para aumentar as vendas, o que significa o fim da liberdade criativa ou da jogabilidade atraente e a entrada em cena da eficiência e os curtos prazos de desenvolvimento.

Funcionando como um jogo em que controlamos uma empresa que cria games, ele servirá para chamar a atenção para o que é conhecido como crunch time, ou a prática de colocar funcionários para trabalhar exaustivamente para garantir que um título seja lançado a tempo. Esse é um problema que tem ganhado bastante atenção da mídia e mesmo assim se tornado cada vez mais comum.
Um detalhe importante sobre o Fork Parker’s Crunch Out, é que todo o lucro conseguido com a venda dos cartuchos será doado para a Take This, uma organização que tem como objetivo justamente educar as pessoas sobre os problemas mentais e acabar um pouco com os estigmas sobre aqueles que sofrem desse mal.

O que não concordo muito é com a plataforma escolhida pelos envolvidos para o lançamento do jogo. Tudo bem que isso pode ter feito com que a publicidade sobre o título tenha sido maior, mas é inegável que se ele aparecesse nos videogames atuais, muito mais pessoas teriam acesso a algo que tem até uma questão social por trás. Por isso espero que essa exclusividade do Super Nintendo seja apenas temporária, com o Fork Parker’s Crunch Out aparecendo em vários outros videogames no futuro, pois eu adoraria poder jogá-lo.

Aos interessados, o jogo está em pré-venda no site da desenvolvedora, por US$ 49,99 (+ US$ 24,58 do frete para o Brasil). Mas se você estiver realmente disposto a gastar, poderá adquirir uma edição especial, cujo cartucho virá com uma tela e sairá por US$ 149!



Via: MeioBit Games

terça-feira, 8 de maio de 2018

Entrevista de 1996 revela por que criador do Game Boy saiu da Nintendo

O designer Gunpei Yokoi, responsável pela criação do revolucionário Game Boy e também do desastroso Virtual Boy, explicou em uma relato de novembro de 1996, republicado recentemente pelo portal japonês "livedoor" e traduzido pelo "Kotaku", a razão pela qual deixou a Nintendo. Algumas pessoas acreditam que ele saiu da empresa por causa do fracasso do Virtual Boy, mas não é o caso.

"Após mais de trinta anos, eu deixei a Nintendo," escreveu Yokoi. "Após me formar na universidade, eu estava na Nintendo o tempo todo trabalhando em brinquedos, mas chegando aos 55 anos, eu pensei sobre trabalhar num emprego que me desse mais liberdade com minhas ideias."

"O dia antes de eu sair da Nintendo, o jornal 'Nikkei' fez uma grande matéria sobre mim," escreveu Yokoi, adicionando que a publicação dizia que ele estava saindo para tomar responsabilidade pelo fracasso do Virtual Boy. "Na verdade, eu não me demiti por causa disso."

"Bem antes disso, eu estava pensando que quando fizesse 55 anos, queria me tornar independente. Colocando de outra forma, eu tive uma vida inteira de ideias e continuei fazendo brinquedos. Para continuar aprimorando a filosofia corporativa da Nintendo de 'brinquedos de nicho', esta foi a única razão de eu ter pedido demissão."

Infelizmente, a carreira de Yokoi pós-Nintendo foi interrompida quando ele foi morto em um acidente de trânsito em 1997, aos 56 anos.

Via: UOL Jogos

quarta-feira, 2 de maio de 2018

Nos EUA, Capcom relançará cartuchos de Mega Man X e Mega Man 2














A Capcom vai relançar os cartuchos de Mega Man 2 e Mega Man X para o NES e o Super Nintendo, respectivamente.

Os cartuchos, feito em parceria com a fabricante iam8bit (reeditando a parceria feita em 2017 com Street Fighter II), tem uma tiragem de 8,5 mil unidades para cada jogo e custarão, cada US$ 100 (cerca de R$ 350).

Ambos os cartuchos também virão em duas cores diferentes. O de Mega Man 2 vem na cor azul clara e o de Mega Man X, na cor branca. Ambos terão uma versão rara, em azul com material translúcido, que será entregue de forma aleatória aos compradores. A chance de conseguir a versão "rara" é de uma em oito.

O pacote também inclui um manual e "surpresas".

Todo o material celebra os 30 anos do robô azul, completados em dezembro do ano passado. Em 2018, a Capcom também comemora o aniversário com o lançamento de Mega Man 11 e da coletânea Mega Man X Legacy Collection.

Via:
Theenemy

9 curiosidades da série Crash Bandicoot



quarta-feira, 18 de abril de 2018

Nintendo nos vendeu uma ROM de Super Mario Bros?




















Quem utilizou o Virtual Console no Wii e Wii U sabe que o serviço não é lá grande coisa, rodando muitas vezes pior até do que nas emulações feitas no PC. Embora hajam diversos jogos clássicos disponíveis no serviço, a Nintendo nunca deu o devido tratamento para ele, disponibilizando pouquíssimos jogos por mês, apesar de possuir uma das maiores bibliotecas de games da indústria.

Ano passado ficou claro que a Nintendo trata o Virtual Console com desleixo, quando surgiu evidência de que ela possivelmente nos vendeu uma ROM do Super Mario Bros. original no Wii, que ela aparentemente baixou na internet.

Fuçando nos arquivos do port de Virtual Console, você encontrará uma linha de código que está presente apenas em arquivos de ROM disponibilizados online. Na verdade, essa linha adicional de código bate com algumas das ROMs que qualquer um pode encontrar em diversos sites.

A Eurogamer, com ajuda da Digital Foundry, explicou o processo usado para determinar se os compradores do clássico game no Virtual Console foram enganados. O vídeo pode ser assistido abaixo ou clicando neste link caso não consiga visualizá-lo em seu navegador.



Já passou mais de um ano desde esse episódio e até agora a Nintendo não explicou isso, e provavelmente nunca o fará.

Via: GameHall

terça-feira, 10 de abril de 2018

SEGA e Cook & Becker se unem para lançar um Art Book de 25 anos de Sonic the Hedgehog



















A SEGA se uniu com a Cook & Becker para lançar um Art Book (livro de ilustrações) comemorando os 25 anos da série Sonic The Hedgehog.

O livro vai cobrir toda a história de Sonic e incluirá desenhos, ilustrações oficiais, Pixel Art, artes promocionais e ilustrações das caixas dos jogos. O livro também contará com artes nunca vistas e terá entrevistas com designers e artistas que trabalharam na série.

As pré-vendas ainda não foram abertas, mas a Cook & Becker espera que as pré-vendas comecem mundialmente em outubro ou novembro, com as vendas abertas no começo de 2017. Haverão duas edições: a comum e a de colecionador.

Via: Epic Play

segunda-feira, 2 de abril de 2018

Tectoy anuncia dois novos modelos do Atari Flashback
















A Tectoy anunciou oficialmente o lançamento de dois novos consoles Atari no Brasil: o Atari Flashback Portátil e o Atari Flashback 8 que chegam ao país com os valores de R$ 480,00 e R$ 500,00, respectivamente.
O Atari Flashback Portátil é uma versão de bolso que traz 70 jogos na memória incluindo grandes sucessos como Pac-Man, entre muitos outros como Pitfall, River Raid, Kaboom e Frogger.

Ele possui uma tela LCD de 2.8” (pode ser ligado na TV, usando um cabo opcional), entrada para cartão SD (não incluso), que permite adicionar mais de 1.000 versões de jogos diferentes e bateria recarregável.

Já o Flashback 8 é um console com o mesmo visual da versão anterior, vem com dois controles com fios e desta vez com 105 jogos na memória, incluindo títulos clássicos como Space Invaders, Pitfall, River Raid, Kaboom e H.E.R.O e muitos outros.

Ambos os produtos virão em embalagem exclusiva da Tectoy, empresa oficial da Atari no Brasil , em versão comemorativa dos 40 anos de lançamento do videogame original.

Para mais detalhes, lista de jogos completa ou para adquirir os produtos, acesse o site oficial.

Via: GameHall

quarta-feira, 14 de março de 2018

Trilha sonora do Streets of Rage 2 em vinil

Vinil do Streets of Rage 2
A Data Discs vai lançar a trilha sonora do Streets of Rage em disco de vinil, que foi cuidadosamente remasterizada, inclusive algumas músicas utilizaram os arquivos originais do NEC PC-88 (um computador Japonês bem desconhecido no ocidente) que foram fornecidos pelo próprio Yuzo Koshiro. A arte da capa é a mesma utilizada na capa do cartucho, e veio direto dos arquivos da Sega do Japão.



Vinil do Streets of Rage 2Streets of Rage 2 assim como todos os jogos da série são famosos pela ótima trilha sonora composta por Yuzo Koshiro, que marcou a geração dos consoles de 16bits.

Os discos estão disponíveis em três versões: todo preto, transparente com efeito de fumaça, e transparente com efeito de fumaça e sangue espirrado. O conteúdo é o mesmo, o que muda é apenas o visual.

Vinil do Streets of Rage 2
Vinil do Streets of Rage 2
Vinil do Streets of Rage 2

Os discos do Streets of Rage 2 podem ser comprados no site da Data Discs, pelo preço de £24,99 e com lançamento marcado para 27 de fevereiro. A trilha sonora vem em dois discos de vinil de 180g.

Via: Jogorama


quinta-feira, 1 de março de 2018

Michael Jackson gravou uma fita para as músicas de Sonic 3




















Sonic the Hedgehog 3 teria músicas originalmente compostas por Michael Jackson como já sabemos. Inclusive, há muitas comparações da trilha que está no jogo com outras obras do rei do pop.

Agora, o criador de Sonic, Naoto Ohshima, divulgou uma informação surpreendente. No caso, Michael Jackson gravou uma fita com alguns exemplos de músicas que poderiam ser usadas em Sonic 3. A fita não tem instrumentos musicais, é apenas Michael fazendo sons com a boca e batucando ocasionalmente.

Infelizmente, Naoto não tem essa fita, mas ele acredita que esteja em algum lugar na SEGA. Um protótipo do jogo com essas músicas provavelmente não existiu também, segundo Naoto.



Via: PSX Brasil

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Microsoft esteve perto de comprar a Square em 1999, relata livro














Mais uma história curiosa foi revelada recentemente dentro do mercado de videogames. Publicado no final de 2017 pelo norte-americano Rusel Demaria, o livro Game of X conta com duas edições que relembram a história da criação do Xbox e várias histórias interessantes da época. O usuário Dancrane212 no fórum ResetEra, no entanto, conta que a publicação também registrou um momento único na história dos jogos eletrônicos: a tentativa de compra da Squaresoft pela Microsoft.

O livro conta que, em 1999, as duas empresas estavam negociando a compra do estúdio por conta do grande interesse da Microsoft na franquia Final Fantasy. Mas, como conta o gerente de negócios Bob McBreen, na reunião final em que tudo seria acertado o CEO e o banqueiro da Square levantaram e pediram mais dinheiro pela negociação.

O banqueiro da Square comentou que o valor da empresa estava errado. "Eles queriam algo em torno de US$ 1,5 bilhão por metade da companhia", relembrou o vice-presidente da Microsoft na época, Rick Thompson. O valor era muito maior do que a empresa estava disponível a pagar e, por conta disso, o acordo não foi fechado.

Por conta disso, boa parte dos títulos da Squaresoft - e futuramente Square Enix - se mantiveram exclusivos aos consoles da Sony. Mas fica a grande pergunta: o que teria acontecido se a compra tivesse sido concluída?

Via: The Enemy